Falsos amigos: conheça os alimentos que podem colocar a sua dieta em risco
Queijo minas, peito de peru, barrinhas… Eles não são tão inofensivos quanto parecem e podem colocar a dieta em risco!
Aprenda alternativas para não pecar nas escolhas que faz à mesa
Barrinhas de cereais Elas surgiram com o propósito de ser uma opção prática para levar na bolsa, guardar na gaveta do escritório… Ricas em fibras, ajudam a controlar a fome e a regular o trânsito intestinal. “No entanto, muitas contêm cobertura de chocolate, mel, açúcar refinado, gordura hidrogenada e outros ingredientes que podem torná-las perigosas para quem quer controlar o peso”, alerta Roseli Rossi, nutricionista da Equilíbrio Clínica Nutricional (SP). Algumas chegam a ter 120 calorias, além de altos índices de gordura e açúcar. Além disso, é preciso lembrar que as qualidades nutricionais da barrinha não são suficientes para substituir uma refeição.
Alternativa Cookies, frutas desidratadas – como uvas-passas, damasco, ameixas secas… – e sementes oleaginosas – como nozes, amêndoas e castanhas. As frutas secas são excelentes fontes de vitaminas, minerais e fibras. Já asoleaginosas ainda apresentam gorduras monoinsaturadas, com ação anti-inflamatória.
Frutas Segundo Zoe Harcombe, autora do livro The Obesity Epidemic – What Caused it? How Can we Stop it? (“A Epidemia de Obesidade – Qual a Causa? Como Podemos Pará-la?”, em tradução livre), as frutas são boas fontes de vitamina C, mas praticamente dispensáveis quando se fala das outras. Não dá para viver apenas desses alimentos.
Alternativa Variar. Quanto mais frutas diferentes consumir, maior os benefícios nutritivos. Mas evite o abacate, que tem 180 calorias em 100 gramas, e o açaí, que traz 247 calorias na mesma quantidade.

Carne de frango Não se iluda com a aparente inocência da carne branca. Um filé de frango grelhado tem, em média,183 calorias, contra 131 de uma bisteca suína. São surpreendentes 30% a mais. Com pele, então, o frango vira um veneno, que pode aumentar os níveis de colesterol e comprometer a saúde do coração. Vá com calma!
Alternativa Os peixes são de longe a opção mais saudável. Os de carne branca oferecem ainda a vantagem de serem, em média, 20% menos calóricos do que a carne vermelha.
Peito de peru Nove entre dez lanches naturais levam pelo menos algumas fatias desse item em sua composição. Apesar de se tratar de uma carne magra, o peito de peru também é um embutido e, assim como o salame ou a mortadela, rico em sal – que incha! – e aditivos químicos como corantes, conservantes, espessantes e realçadores de sabor. “O consumo abusivo dessas substâncias desencadeia hipertensão arterial e há pesquisas indicando que pode levar ao surgimento de câncer”, ressalta Neiva Souza. Poder pode, mas não toda hora, entendido?
Alternativa A sardinha e o atum em lata são opções práticas e saudáveis, apesar de serem conservados em óleo. Esses dois peixes representam fontes de proteína de alta qualidade, além de vitaminas e minerais.

Sucos de caixinha Pela praticidade, são usados como opção ao refrigerante. Mas não se iluda, eles não são tão saudáveis. A concentração de fibras e da própria fruta, com suas vitaminas e minerais, é pequena nesses produtos. E ainda são adicionados aditivos químicos. “Estudos científicos têm associado o consumo dessa bebida com o aumento do risco de doenças cardiovasculares, acúmulo de gordura no fígado e obesidade”, conta Neiva Souza.
Alternativa Sucos naturais.
Molho light para saladas Mais uma vez, o problema aqui é o sódio, que causa retenção hídrica, além de prejudicar o fluxo de nutrientes entre as células. A versão light do molho tem quase 50% a mais de sódio que a tradicional. “A preocupação não deve ser apenas com a quantidade de calorias, mas principalmente com a saúde”, alerta Roseli Rossi. Alternativa Usar temperos naturais e especiarias. Algumas delas permitem até deixar o sal de lado, como azeite de oliva com vinagre de maçã, orégano e mostarda. Hummm!
Queijo de minas Por ser branco e liberar pouca gordura quando aquecido, existe o mito de que seja mais light do que os outros tipos de queijo. “Na verdade, ele tem o mesmo teor de gordura que a mozarela, por exemplo”, diz Fernanda Bassan, nutricionista (DF). Quem nunca se deixou enganar que atire a primeira pedra! Alternativa O cottage e a ricota são duas boas fontes de proteínas e cálcio, com uma quantidade bem menor de gordura saturada. Invista!
Biscoito de água e sal Apesar da aparência de “sequinho”, no processo de produção adiciona-se gordura hidrogenada(péssima para o coração!) para deixá-lo mais crocante e saboroso. Além disso, a maioria é feita comfarinha branca refinada, que tem alto valor calórico sem acrescentar vitaminas e minerais. De aparência inocente, cada bolachinha tem cerca de 30 calorias. “Quatro unidades têm a mesma quantidade de calorias de um pão francês, porém com quatro vezes mais gordura”, alerta Inty Davidson. Surpresa? Alternativa Torradas integrais caseiras com patê são uma boa opção, porque aumentam a saciedade. O mesmo vale para os pães integrais, que demoram mais tempo para serem digeridos, devido à presença de fibras, e evitam grandes elevações da glicemia, causa da famosa barriguinha.
Aveia e farelo de trigo São ótimos para o bom funcionamento do sistema digestório. Mas se forem consumidos “a seco”, travam o intestino. Para entender como, faça a seguinte experiência: coloque duas colheres (sopa) de farelo de trigo em uma vasilha com apenas uma colher (sopa) de água. O que acontece? “As fibras puxam todo o líquido e a mistura vira um cimento”, descreve Inty Davidson, nutricionista (SP). É constipação na certa! Aí o humor fica péssimo, você fica inchada, a dieta não dá os resultados esperados na balança… Alternativa Não precisa eliminar a fibra em farelo, mas é preciso consumir muuuita água. Uma boa opção é escolher também outros tipos de fibras para compor seu cardápio, como as presentes nos vegetais e nas frutas.

Escrito por Roberto Oliviera