Será que o glúten é o vilão da sua dieta ?

Mesmo quem não tem doença celíaca, esta retirando o glúten da alimentação, como sabemos a doença celíaca ocorre em pessoas que não conseguem digerir o glúten, causando dores, diarreia e microfissuras no intestino. Mas eliminar o glúten, pode gerar esta doença em quem não tem sensibilidade ao glúten.

O glúten é uma mistura de gliadina e glutenina – as proteínas encontradas no trigo, cevada, centeio, cuscuz, mingau, semolina, e seus derivados, como o malte, o trigo e a cevada são responsáveis pela natureza elástica da massa de pão.

Para algumas pessoas, o glúten é facilmente digerível e não tem muito efeito em sua saúde.

No entanto, há número crescente de pessoas que são sensíveis ao glúten (digerem mal o glúten), os sintomas mais comuns são problemas de estômago, dores de cabeça, fadiga, dormência e depressão, o glúten mal digerido gera substâncias que afetam ou agem no sistema nervoso, como a gluteomorfina que apesar dos sintomas causa dependência afetando o humor, ou seja, a pessoa passa mal e ainda fica dependente de comer glúten.

Um estudo da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, encontrou manifestações neurológicas de sensibilidade ao glúten, pacientes que tinham digestão lenta com esquizofrenia e autismo também podem ser afetados por proteínas como o glúten e a caseína (presente no leite), a redução de leite (e derivados) e glúten não vai curar mas ajuda para que o cérebro e sistema nervoso funcione melhor para estas pessoas.

O glúten é encontrado na farinha de trigo, farinha branca, farinha de trigo, farelo e germe de trigo, pães pão, pãezinhos, biscoitos, muffins, biscoitos, cereais que contenham trigo, gérmen de trigo, pastelaria, massa de pizza, massas, panquecas, bolos, biscoitos, casquinhas de sorvete, tortas, bolos preparados e misturas de biscoito, pudim de pão, etc. E também nas bebidas feitas com malte, cerveja, cerveja, gim e uísque.

Aveia é outra história, apesar de serem considerada um grão de glúten, a aveia não contém o “gliadina”. O problema é que a aveia é geralmente tratada com as mesmas máquinas agrícolas, armazenada e moída nas mesmas instalações juntas como os grãos de glúten onde a contaminação pode ocorrer. Se tem sensibilidade e dependência de glúten, prefira aveia “pura” ou “sem glúten” .

A terapeuta Regina Racco, autora do livro “Glúten e Obesidade, a verdade que emagrece” (Editora RRacco), defende que “o glúten interfere no bom funcionamento do organismo, causando excesso de peso e gordura localizada – principalmente na região do abdome”.

Entretanto há defensores do Glúten, e a razão é simples, a falta dele gera a doença celíaca, na Suécia na década de 80 os médicos recomendaram excluir o glúten da alimentação das crianças o resultado foi aumento de 300% de casos de doença celíaca, hoje já recomendam pequenas doses desde bebes, quem consegue resistir a um pão quentinho como este ?

Uma dieta voluntária de restringir totalmente o glúten, pode gerar a doença celíaca mesmo em adultos.

O trigo e glúten estão com a humanidade há muitos anos, segundo Yuval Noah Harari autor do livro Sapiens:

“A transição para agricultura começou por volta de 9500-8500 a.C., no interior montanhoso do sudeste da Turquia, no oeste do Irã e no Levante. Começou devagar em uma área geográfica restrita. Trigo e bodes foram domesticados por volta de 9000 a.C. , ervilhas e lentilhas, em 8000 a.C. ………”

O autor ainda explica que apesar de parecer que nós domesticamos os animais e a plantações, foi bem ao contrario a humanidade é que se adaptou as exigências das plantações e dos animais para seu sustento, mas isto é outra história…. 😊

Como algo que está com a humanidade há tantos anos, ajudando a nos desenvolver, pode ser o causador de tanto mal? Não tem lógica.

Nossa conclusão

Acreditamos fielmente que uma dieta restritiva não reduz peso e gordura em excesso, podem reduzir temporariamente, mas basta voltar a comer em excesso que o peso e gordura voltam, melhor optar por pequenas porções e principalmente pequenas garfadas de todos os alimentos saudáveis e bem pouquinho, bem pouquinho mesmo dos alimentos não saudáveis (que são deliciosos normalmente) . Cuide-se e ame o seu corpo.

Roberto Oliviera
Escrito por Roberto Oliviera